Dicas

26 de Fevereiro de 2021

Idade ideal para aprender inglês: ela existe?

Saiba mais sobre a idade ideal para se aprender inglês

Que o inglês ajuda a acessar melhores oportunidades no mercado de trabalho você já sabe. Por isso, não é incomum querer que se aprenda inglês o mais cedo possível - e o mais rápido possível também. Assim, você consegue alçar vôos mais altos em sua carreira.

Inclusive, muito se fala sobre uma idade ideal para se aprender uma nova língua. Existe uma crença de que se você não aprender até idade "x" estará perdendo oportunidades. Essa concepção de aprendizado com um "prazo de validade" para iniciar está mais ligada à urgência do que a uma perda de desempenho do cérebro humano.

A verdade é que, do ponto de vista do funcionamento do cérebro, essa idade ideal não existe. Talvez o melhor não seja falar em uma "idade ideal", mas em uma "idade com mais vantagens".

Você pode dizer que aprender inglês enquanto ainda se é criança permite uma melhor absorção do conteúdo. Você até se questiona: eu mal consigo lembrar o que almocei ontem, como vou aprender uma língua nova? Mas isso acontece porque você está muito atarefado e não porque seu cérebro está envelhecendo.

E é justamente aí que surge a ideia de que aprender inglês na infância é melhor. Claro, nossa compreensão de como ocorre o aprendizado de língua está em constante evolução. O mito de que se deve aprender durante a infância ainda existe, fazendo com que muitos desistam de estudar inglês quando adultos.

Não se preocupe, você pode sim aprender inglês depois de adulto. Você pode aprender até depois, na sua aposentadoria, se quiser. Mas entenda que isso vai exigir mais dedicação e foco da sua parte. A verdade é que todos podem (e devem) aprender uma nova língua, não importa a idade.

Bom, apesar de não podermos afirmar que existe uma idade ideal, os cientistas parecem entrar em consenso quando o assunto é "quanto mais cedo, melhor", pelo menos. Vamos conversar um pouco sobre como funciona a aprendizagem?

O que os bebês têm de tão especial?

Vamos imaginar uma coisinha? Pense que você é um bebê recém-nascido. Certamente você ainda não sabe falar nada e não faz ideia do que estão dizendo para você. Você está pronto para receber qualquer estímulo de qualquer língua.

Claro, sua mãe já vinha fazendo isso enquanto você estava na barriga e sua família seguirá fazendo isso. Assim, você irá aprender a falar a língua deles. No nosso contexto, é a língua portuguesa brasileira, a qual chamamos também de língua materna.

Com o tempo, o seu cérebro começa a "filtrar" os sons importantes para o português e a ignorar os que não fazem parte desse idioma. Logo, parece impossível falar o /θ/ (o famoso th) do inglês: seu cérebro escolheu ignorar esse som. Como o som mais próximo ao /θ/, em português, é o /t/, seu cérebro entende como se fossem a mesma coisa.

Além disso, seu aparelho fonador não “treina” os sons que não pertencem a sua língua materna, como o som do th, discutido acima. Por isso é tão difícil pronunciar certos sons presentes em outras línguas. Você já escutou um americano tentando dizer “pão, não, cão”? O som do nosso “ão” não existe no inglês, por isso o aparelho fonador deles não consegue produzir esse som como nós, brasileiros.  

Assim, iniciar os estudos de uma língua o quanto antes pode ser vantajoso. É como se o seu corpo estivesse pronto para novas experiências. Inclusive, o ideal é estar imerso em um ambiente que fale a língua que se deseja aprender, como o inglês. Dessa forma, seu aparelho fonador estará sempre sendo estimulado aos novos sons e praticando os sons de outra língua.

Quando adulto, pode ser que haja um pouco mais de dificuldade para aprender esses sons, porque é necessário tirar o seu cérebro da "zona de conforto" em que ele se colocou. Lembre-se: não é impossível, mas exige mais esforço. Se você for aprender uma segunda língua estrangeira, esse caminho já estará percorrido e é mais fácil aprender uma outra língua caso você já saiba inglês, por exemplo.

Mas então… como aprendemos?

Nós conversamos um pouco sobre o motivo de os bebês terem uma maior predisposição para aprender, mas não falamos exatamente sobre como eles aprendem. Talvez se você é daquelas pessoas que tem um olhar mais atento, já deve ter percebido nas entrelinhas como isso ocorre. O segredo está na exposição, na imersão com a língua.

Os bebês adquirem novas habilidades (dentre elas, uma língua) através de um processo chamado de aprendizagem implícita. Eles absorvem e imitam o que estão ouvindo ou vendo. No caso de uma língua, os bebês estão focados em poder comunicar o que eles querem da forma mais eficaz possível. Eles não vão pensar sobre o aprendizado formal (onde temos um sujeito + verbo + objeto…), eles vão simplesmente aprender.

Você já deve ter ouvido falar que apenas 10% do que aprendemos é através da leitura ou que a maior parte do que aprendemos é através da prática. Os bebês parecem ser a prova viva disso, não é mesmo? Mas isso não quer dizer que não podemos aprender de outras formas - só que na prática é bem mais fácil.

Concluindo, não há uma idade ideal para aprender uma língua estrangeira. Você pode aprender inglês quando quiser, com a idade que for melhor para você. 

No futuro, podemos até conversar sobre as vantagens e desvantagens de cada fase. Mas, como já dizia o velho ditado: não deixe para amanhã o que se pode fazer hoje, né?

Confira também os conteúdos abaixo. Eles podem ser bastante úteis!
 

Como aprender inglês do jeito que aprendemos nossa língua materna

 

Quanto tempo é necessário para aprender inglês?

 

5 benefícios de uma mente bilíngue

 

Porque começar a aprender inglês agora

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias similares para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com o uso dessa tecnologia. Para saber mais acesse aqui