Aprender Inglês

16 de Novembro de 2017

The book is on the table? 5 erros mais comuns de brasileiros ao falar inglês

O maior equívoco do aprendiz de inglês é repetir as mesmas falhas, por isso, confira as nossas dicas.

Os brasileiros tendem a fazer traduções literais de expressões, misturam as duas línguas e/ou pronunciam as palavras carregando o sotaque. Com isso, acabam provocando uma lambança e cometendo erros comuns ao falar inglês.

Mas quem nunca errou que atire o primeiro dicionário. O maior equívoco do aprendiz de inglês é repetir as mesmas falhas. Se você não quer ficar famoso por uma gafe dessas, confira os 5 erros mais comuns praticados por brasileiros.

 

1. Tradução literal de expressões idiomáticas

Toda língua tem expressões idiomáticas. Essas são maneiras peculiares de dizer e mudam de um idioma para outro. Então, traduzir um “nem que a vaca tussa” não é uma boa ideia. Veja algumas expressões idiomáticas comuns no inglês:

  • By heart (de cor e salteado).
  • Shooting the breeze (jogar conversa fora).
  • I cross my heart (juro por Deus).

Se você quer mostrar a sua fluência no inglês, conheça essas particularidades do idioma e nunca faça traduções literais. Além disso, não se esqueça de que quando o assunto é a língua, estamos falando de cultura, consequentemente, a imersão é essencial para garantir a naturalidade.

 

2. Abrasileiramento dos sons das consoantes

O abrasileiramento dos sons é um erro que só poderá ser corrigido com a prática constante da pronúncia do idioma. No português colocamos sempre uma vogal depois de uma consoante, até mesmo quando ela não existe na escrita, como em opção, que falamos “op(i)ção”. Isso não deve acontecer nas palavras em inglês.

O som do T

Deve ser um som limpo e fechado, como em “tarde”, nunca como em “tia”, em que parece que dizemos “tchia”.

A pronúncia do L

Deve ser pronunciado como se falássemos o nome da letra (élle), sempre evitando que pareça “u”. Assim, “Will” (com a língua entre os dentes e tocando o céu da boca) e não “wiú”.

O som do H e do R

O “h” não é mudo e tem o som do nosso “rr”, como em “hot”. Já o “r” vai parecer mais puxado e marcado. Além disso, no começo de palavras, ele sai da garganta.

 

3. Construção de frases sem sujeito

É muito comum no português não colocarmos o sujeito quando vamos falar algo. No inglês isso não é permitido, o sujeito sempre aparece, mesmo que ele seja uma coisa, nesse caso, usa-se o “it”. Veja alguns exemplos:

Em português                   Em inglês (errado)                   Em inglês (certo)

Corri ontem à noite.             Ran last night.                               I ran last night.

Fizemos a lição de casa.      Have done the homework.          We have done the homework. 

Caíram no chão.                   Fell on the floor                            They fell on the floor

 

 

4. Organização de frases interrogativas e negativas

A tendência do brasileiro é não usar os verbos auxiliares quando se quer fazer uma pergunta, até porque não temos essa necessidade no português. Mas só a entonação não é o suficiente quando se trata da língua inglesa, por isso, os auxiliares são essenciais.

Outro erro comum é o uso do “não” de forma literal, quando queremos negar algo. Em português dizemos “Eu não quero isso”, já no inglês, é errado se dissermos “I no want this”, já que a regra do auxiliar também cabe aqui, assim, o correto é “I do not want this”.

 

5. Confusão com os falsos cognatos

Uma moça estava entrando na loja de sapatos com caixas e mais caixas amontoadas em seus braços e disse: “Please, can you push the door for me?”. E adivinha o que a brasileira fez? Ficou puxando a porta e não conseguiu abrir. Passou um sufoco simplesmente porque não sabia que “push” em inglês significa “empurre”.

Por isso, nunca é demais relembrar a importância de aprender que algumas palavras em inglês podem ser parecidas. Elas são chamadas de falsos cognatos ou falsos amigos e, como vimos, podem causar a maior confusão.

É importante salientar que no português, geralmente, falamos como escrevemos, algo que não acontece no inglês. A língua tem pronúncias distintas das que estamos acostumados, como o “th”. Mas isso é assunto para um outro post, por enquanto, siga essas dicas e não cometa erros comuns na hora de falar inglês.

 

Se você conhece alguém que insiste nesses tipos de erros, conte para a gente nos comentários!