Aprender Inglês 11 de Maio de 2024

Regência verbal em inglês: tipos, exemplos e dicas

Sempre fica em dúvida sobre o que colocar depois de um verbo? Este artigo sobre regência verbal em inglês vai esclarecer tudo para você.

A regência verbal é o estudo dos verbos e seus complementos, ou seja, aquilo que vem depois deles, mas você sabia que os nativos da Língua Inglesa não costumam aprendê-la como os falantes de português? Aliás, nem existe um termo correspondente para regência verbal em inglês!

O que você vai ouvir por aí são os termos transitive e intransitive verbs (verbos transitivos e intransitivos) e prepositional verbs (verbos com preposições). Mesmo assim, seguir uma linha de raciocínio para saber a ordem em que eles aparecem pode ajudar a não errar na hora de usar complementos depois dos verbos.

Este artigo foi preparado especialmente para que você conquiste um domínio maior do idioma e evite cometer erros gramaticais. Confira!

O que é a regência verbal em inglês?

Sabe como alguns verbos podem fazer sentido sozinhos, mas outros não e acabam “exigindo” um complemento para que a frase faça sentido gramaticalmente? É a regência verbal a responsável por dizer se uma ação vai precisar do complemento ou não.

Esse complemento, por sua vez, é chamado de objeto direto, objeto indireto ou preposição. 

Tanto na língua do Tio Sam quanto no bom e velho português, tenha em mente que os verbos podem exigir certos tipos de objetos e complementos para fazer sentido, e esse complemento também não pode ser qualquer um, aliás, ele vai variar de acordo com o verbo.

Em “I depend on my mom to drive me to school” (eu dependo da minha mãe para me levar à escola), por exemplo, você encontra um prepositional verb, já que o verbo “depender”, em inglês, sempre deve vir acompanhado da preposição “on” para fazer sentido gramaticalmente.

Só não vai confundir regência com concordância, porque são coisas diferentes! 

Regência verbal e concordância verbal: qual é a diferença?

A regência verbal está relacionada aos complementos que vêm depois do verbo, ou seja, logo depois da ação, já a concordância verbal está diretamente relacionada à conjugação do verbo de acordo com o sujeito da frase.

E, no inglês, a principal regra de concordância verbal é a da terceira pessoa do singular no Simple Present (presente simples), que dita que o verbo sempre será flexionado quando o sujeito for he, she ou it, adicionando “-s”, “-ies” ou “-es” ao final de cada termo.

Na expressão “She likes English” (ela gosta de inglês), a concordância verbal foi feita corretamente, já que o sujeito she no presente simples exige a flexibilização do verbo. Se a frase fosse “She like English”, o pronome não estaria concordando com o verbo, e você teria errado feio, errado rude!

Agora, antes de você seguir para o ponto central deste artigo, entenda detalhes sobre outra regência: a nominal.  

Regência verbal vs. nominal em inglês

A regência verbal se refere aos elementos que “andam” com o verbo, enquanto a regência nominal se preocupa em garantir que nomes (substantivos, adjetivos ou advérbios) sejam acompanhados dos complementos (preposições, artigos ou adjetivos) certos.

Assim como na verbal, a regência nominal também pode ser dividida, trazendo combinações entre preposições que podem ser seguidas de substantivos, termos que exigem uma preposição específica e por aí vai.

Dá uma olhadinha neste exemplo: “They have a preference for Italian food” (eles têm preferência por comida italiana). Nesse caso, a regência nominal do substantivo preference é for e, por isso, esse termo não pode vir acompanhado de outra preposição no inglês.

Como é feita a regência verbal em inglês?

Com exceção dos verbos intransitivos (que não exigem um complemento para completar seu significado), a regência verbal em inglês é composta por um verbo e um acompanhamento, e a estrutura de uma frase adequada a ela fica assim: verbo + preposição ou verbo + objeto.

E, para ser mais fácil entender como os verbos e seus complementos se comportam em inglês, você pode separar os verbos por categoria de regência, elencando-os como transitivos diretos, transitivos indiretos, intransitivos e preposicionais.

A boa notícia é que existe um padrão que ajuda você a estudar essas categorias. Anote-os no próximo tópico!

Como estudar regência verbal em inglês?

Você pode se apoiar na gramática do português e separar os verbos de acordo com sua regência, criando categorias para o estudo, mas atenção: isso não quer dizer que os verbos em inglês terão a mesma regência do que os verbos em português, beleza?

Inclusive, essa associação, às vezes inconsciente, deve ser feita com cuidado, já que pode induzir ao erro. Por isso, a ideia é apenas usar as categorias como caixinhas de organização mental, mas “enchê-las” com conteúdos diferentes.

Confira agora os padrões mais comuns e alguns exemplos de regência verbal em inglês.

Regência verbal em inglês
Categorias para estudar O que representam Exemplos em inglês e português

Transitive verbs
(verbos transitivos diretos)

São os verbos que necessitam de um objeto direto para completar seu significado.

She drinks coffee
Ela bebe café

(Sem o “coffee” na frase, que é o objeto direto, ela ficaria incompleta e confusa)

Transitive verbs with indirect objects
(verbos transitivos diretos e indiretos)

São os verbos que precisam tanto de objeto direto (o alvo da ação) quanto objeto indireto (quem ou o que recebe ou se beneficia dela).

He gave her a present
Ele deu um presente para ela

(Nesse caso, o “her” é o objeto indireto e o “present” o objeto direto)

Intransitive verbs
(verbos intransitivos)

São os verbos que não exigem um objeto para completar seu significado.

She sleeps
Ela dorme

(Ou seja, o verbo “dormir” é um exemplo de uma regência verbal que não exige complemento)

Prepositional verbs
(verbos com preposições)

São os verbos seguidos por preposições específicas para indicar o sentido de sua ação.

listen to music
Eu ouço música

(Talvez esse seja um dos exemplos mais conhecidos pelos estudantes do idioma ou que desperta interesse em aprender um pouco mais sobre regência verbal em inglês, afinal, o verbo “listen” vem acompanhado da preposição “to” em todos os casos)

De todos os padrões, o que pode ser mais desafiador são os prepositional verbs, pois nem sempre sua regência é intuitiva. Afinal de contas, para dizer que “eu ouço música” em português, não é preciso incluir nada entre o verbo e o complemento, né?

Você leu os princípios básicos, mas nunca se esqueça de que a imersão no inglês, o consumo diário e a internalização desses padrões são os aspectos que realmente farão diferença a longo prazo.

Não tem jeito, para chegar na fluência, você precisa mergulhar no idioma e torná-lo prioridade em sua vida.

E olha que coincidência: imersão é a palavra de ordem nos melhores cursos de inglês do Brasil! Do you want to speak English fluently? – Você quer aprender a falar inglês fluentemente? Então, clique no botão no canto superior direito da sua tela e comece sua jornada ainda hoje!

Artigos relacionados

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias similares para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com o uso dessa tecnologia. Para saber mais acesse aqui