Por que o profissional do futuro precisa falar inglês

Por TopWay English School

Conheça os 3 principais motivos pelos quais você precisa dominar o inglês.

Por TopWay English School

11/11/2016

Business

Há estudos (como aquele divulgado pela Catho, em Abril/2016) que mostram que a diferença salarial para um profissional que sabe inglês pode chegar a 61% a mais do que aqueles que não dominam a língua. Para os que falam espanhol, esta diferença diminui muito.
Mas não é dessa razão que vamos tratar aqui hoje. É sobre as razões pelas quais você precisa falar inglês, mesmo que não seja um operador de turismo, atendente de hotel, despachante aduaneiro. Nesses casos é óbvio que o domínio do inglês é uma competência crucial e definitiva. Mas e quanto aos outros bons empregos, onde você não vai necessariamente dizer “Hello! Good morning!” todos os dias?

Há pelo menos três outras razões pouco comentadas sobre as vantagens profissionais de quem fala um segundo idioma, em especial o inglês: a primeira é cultural, a segunda é pragmática e a terceira é cerebral.

Culturalmente, o que se leva em consideração é que se você aprendeu uma segunda língua é porque estudou mais, leu mais, aprendeu mais e, por consequência, acaba sendo uma pessoa mais interessante. O domínio de línguas estrangeiras seria, então, um sinal da qualificação cultural do candidato, coisa que jamais é desconsiderada na hora da seleção de emprego.

Pelo aspecto pragmático: Se você for ao Google e digitar “como alavancar sua carreira”, terá um resultado de algo em torno de 2 milhões de links. Já se escrever “how to better your career”, este número sobre para 50 milhões. Sim, a biblioteca virtual é imensamente maior se acessada em inglês. O mundo é consideravelmente maior para quem tem menos barreiras de comunicação. Até porque mesmo um trabalho de análise científica sobre mobilidade urbana desenvolvido na República Tcheca será desenvolvido no idioma local e imediatamente em inglês – quando não exclusivamente neste último.

E ainda tem a questão cerebral-cognitiva. A neurociência explica que usamos a parte frontal do cérebro para aprender quando o assunto são emoções. As partes laterais, quando aprendemos por estímulos auditivos. Quando aprendemos por meio de imagens, é a parte de trás do cérebro que funciona.

Já para aprender idiomas, usamos o cérebro inteiro. Neste caso, pessoas que falam mais de uma língua têm o cérebro mais elástico, com melhor capacidade dedutiva e um potencial bem maior para aprender outras coisas. E quem não quer ter alguém assim na equipe?

Quando pensamos nas razões para se aprender inglês, é sempre o salário que nos vem à mente primeiro. Mas não se esqueça: há muito mais vantagens de se ter aquele inglês fluente no currículo do que os rendimentos no final do mês!

 

Receba nosso conteúdo em primeira mão, acompanhe nossa news!