Dicas úteis aos futuros Au Pair

Dicas úteis aos futuros Au Pair

Você está pensando em se tornar Au Pair nos EUA? Já se decidiu e precisa de ajuda no processo? Aqui estão 5 pontos importantes sobre essa experiência:

Por TopWay English School 29/10/2018

1 - A preparação

De um modo geral, nunca estaremos realmente preparados para o que vivenciaremos em um intercâmbio e isso é algo positivo. Entretanto, no intercâmbio Au Pair, o candidato terá uma grande responsabilidade: cuidar de crianças. Isso requer preparação: além de ter experiência com os pequenos, os candidatos passam por uma espécie de “processo seletivo”.

O seu “application form” é uma espécie de currículo que deve ser preenchido e será analisado pelas famílias antes que elas decidam por marcar uma entrevista com você. Portanto, é extremamente importante que ele seja preenchido corretamente e com esmero. Ele conterá informações sobre suas experiências passadas com crianças, suas habilidades, preferências, objetivos, etc. O item mais importante – e que muitos Au Pair deixam de fora por ser opcional – é o vídeo. Muitas famílias não possuem tempo para ler vários currículos e usam o vídeo para selecionar os perfis que irão analisar. 

Não adianta mentir sobre quem você é ou inventar habilidades que você não possui: lembre-se que essa será a família com quem você viverá por pelo menos um ano. Eles saberão.

 

2 – A decisão mais importante: a escolha da família.

Esse ponto é bastante polêmico e é importante que comecemos com a verdade: existem famílias ótimas, famílias razoáveis e famílias péssimas. O mesmo para os Au Pairs. Existe, ainda, a possibilidade da família e do Au Pair serem bons, mas não haver compatibilidade. O programa é vendido para nós como “ser parte de uma família americana”, mas, na maior parte das vezes isso não acontece. E tudo bem que não seja assim, o que precisamos é que a família nos trate com respeito. Lembre-se que você viverá e possuirá um vínculo de emprego com essa família e essa combinação pode ser complexa. O sucesso do seu intercâmbio vai depender do sucesso dessa relação.

Mas, como evitar as famílias péssimas? É importante estarmos atentos. Muitos intercambistas acabam escolhendo as famílias por motivos que deveriam ser secundários, como local de residência e quantidade de crianças. De fato, precisamos colocar esses itens na balança, mas não são os melhores indicadores de uma família adequada. Você preferiria viver por um ano com uma família de Nova Iorque que te induz a trabalhar muito mais do que o permitido pelo programa ou com uma família do interior do Texas que respeita seus horários e seu espaço? Não deixe que a ansiedade fale mais alto e faça com que você escolha a primeira família que aparece em seu perfil com medo que não haja outras. As famílias às vezes demoram a entrar em contato, mas isso não quer dizer que elas não surgirão.

As entrevistas com as famílias geralmente são realizadas via Skype, e dessa maneira já é possível ter uma ideia das características de cada uma. Não se esqueça de discutir todos os pontos cruciais do ano que passarão juntos: qual será a carga horária, como é o quarto do Au Pair (peça fotos), se você poderá usar o carro, se haverá curfew (horário para chegar em casa), como é a rotina da família, etc. Algo que ajuda bastante é pedir o contato do Au Pair que trabalhou com a família no ano anterior, se não for a primeira vez da família no programa. É nesse momento que você terá a oportunidade de descobrir detalhes que a família pode querer omitir.

 

3. Lembre-se de que um dos principais objetivos do intercâmbio é falar inglês

O maior erro possível de um intercambista é conviver a maior parte do tempo com seus compatriotas falando em seu idioma nativo. É realmente muito confortável. Falar outro idioma diariamente – independente do seu nível nesse idioma - demandará esforço.  Porém, vivenciar um idioma é um dos melhores caminhos para adquirir fluência. E melhorar o inglês é um dos seus objetivos, certo?

 

4. Aproveite o intercâmbio

Em um novo país você tem um mundo de possibilidades. Gaste seu inglês, viaje, participe dos feriados com a família, estude. Muitos Au Pair negligenciam a parte de estudo desse intercâmbio e acabam escolhendo qualquer curso gratuito para cumprir os créditos do programa. Porém, existem muitas opções enriquecedoras e há um valor que a família deve oferecer para os estudos da Au pair. Vale a pena procurar e investir.

 

5. A verdade sobre o programa Au Pair

O programa Au Pair é um dos mais procurados pelos jovens brasileiros que decidem fazer intercâmbio nos Estados Unidos. A maioria dos outros programas não possuem valores acessíveis. Trabalhar para uma família é uma grande responsabilidade, e de fato não é tão agradável quanto somente estudar e passear, como em outros intercâmbios. A verdade, porém, é que nenhuma experiência em nossas vidas é perfeita. As vivencias do intercâmbio são maravilhosamente enriquecedoras, empolgantes e inesquecíveis, mas você também se entristecerá. Trabalhar será extremamente cansativo muitas vezes, haverá conflitos com a família, o choque cultural apresentará suas dificuldades, os americanos não serão tão calorosos quanto os brasileiros, as refeições possuirão menos sabor, você sentirá muita saudade. A saudade, ah, a saudade! Ela vai bater, e ela vai ser diferente de tudo o que você sentiu até agora. Vai doer. Muitos optam por voltar antes, muitos optam por ir até o fim. Independente do resultado, o fato é que, se você optar por se aventurar no programa Au Pair, você mudará. Estará mais forte, mais sábio, mais maduro e cheio de histórias pra compartilhar.

 

Autora do texto de hoje: Mayara Pavanelli. 

Receba nosso conteúdo em primeira mão, acompanhe nossa news!

INICIAR CHAT