Aprender Inglês

10 de Julho de 2019

Conheça as diferenças entre o inglês americano, britânico e australiano

Saiba quais são as principais diferenças entre o inglês falado nos Estados Unidos, Inglaterra e Austrália

Se você nos acompanha por aqui, sabe que estamos sempre lembrando da importância de saber inglês no mundo globalizado, principalmente porque o idioma é considerado um idioma universal, falado por pessoas em todos os cantos do mundo. 
Dependendo do lugar onde estamos ou da nacionalidade da pessoa com quem estamos conversando, podemos identificar diferenças na pronúncia de algumas palavras com o mesmo significado. Isso ocorre porque existe variação no inglês falado nos Estados Unidos, Inglaterra e Austrália, por exemplo. 

Por exemplo, quando assistimos a uma série na Netflix é possível observar a diferença entre o inglês britânico e o americano, ou quando ouvimos músicas ou podcasts também  podemos notar diferenças no sotaque australiano. Mas, para quem está acostumado a assistir filmes ou ouvir músicas para melhorar seu nível de inglês essas diferenças podem gerar uma certa confusão.

Pensando nisso, nós separamos algumas das principais diferenças entre o inglês americano, britânico e australiano. E, apesar dessas diferenças não representarem nenhum obstáculo é interessante você conhecê-las, pois elas podem te ajudar no processo de aprendizado da língua inglesa.

Por que o inglês falado tem tantas diferenças?

Isso acontece porque a língua que falamos é algo vivo! Apesar de existir um vocabulário com regras gramaticais definidas, a maneira de um povo se expressar pode mudar. No caso do português, por exemplo, o que se fala em uma região do sul não é o mesmo falado  em uma região mais ao norte do país. E isso também muda de um país para o outro. O português falado em Portugal não é o mesmo que falamos no Brasil, certo? 

E com o inglês não é diferente, mesmo que vários países falem esse idioma, existem diferenças significativas de região para região. A língua falada por um povo reflete muito da história vivida por ele. Assim, por mais que existam gramáticas e dicionários que normatizam a linguagem, quando o assunto é a fala, não tem jeito: as mudanças são constantes e as variações, reais.
 
Vamos ver alguns vocábulos bastante comuns e suas variações em cada país: 

Imagem
Viu só como existem diferenças? E, em relação à pronúncia, existem marcas bem significativas em alguns sons que formam as palavras dependendo da origem do falante. Vamos dar uma olhada? 

Como identificar o país pelo sotaque de alguém?

Aqui no Brasil, por exemplo, é possível identificar de onde uma pessoa é através do sotaque, certo? O jeito que um mineiro fala é diferente do modo como um gaúcho fala, não é? No inglês, o sotaque também é a primeira marca que você encontrará para identificar se uma pessoa é britânica, americana ou australiana. 

Pensando assim, sempre que você ouvir uma música no inglês australiano, note a fala macia, sem pronunciar as palavras inteiras. Isso é um traço bem diferente do inglês dos britânicos, que fazem questão de marcar algumas consoantes. E também dos americanos, que contam com sons mais abertos e vibrantes.

Então, o som da palavra “better”, por exemplo, ficaria assim:

Americano
Tem sons mais abertos. O “t” soa como “r” e são mais vibrantes (como em better, pronuncia-se: “berer”).

Britânico
O “t” é pronunciado como “t”, e o “er” final soa como “ã” (o better é falado “béttar”).

Australiano
Um sotaque mais “preguiçoso”, australianos não pronunciam todas as letras. (better, vira “bérã”).

Além disso, é comum os australianos eliminarem vários sons de palavras, especialmente no começo ou no fim. O bom dia deles, por exemplo, fica quase um ‘g´day’! 

Veja alguns exemplos de palavras em que os australianos eliminam um som ou trocam a consoante por uma vogal:
fishing, going / fishin, goin
what? / wha?
car / ca
forever / foreva

Algumas diferenças ortográficas: 

Enquanto nos EUA a terminação ‘er’ é bem comum (center, theater), Australianos e Britânicos usam a forma ‘re’ (theatre, centre).
E assim como os britânicos, os australianos usam ‘ou’ no final de palavras (colour, flavour, honour).
No inglês americano, palavras terminadas como som ‘ize’ terminam com essa ortografia também (realize). Na Austrália, é diferente. A terminação para esse tipo de som é ‘ise’ (realise).
Dicas gerais:

Para entender diferentes sotaques, não tem outro jeito a não ser  treinar o ouvido. Aprimorar o listening é fundamental para que isso aconteça. E não esquecendo que aprender inglês não precisa ser algo difícil ou complicado, você pode aliar o aprendizado à diversão. 
Insira o  inglês nas coisas que você gosta de fazer. Ouvir músicas e podcasts, assistir filmes e  séries, acompanhar conteúdos no youtube no idioma inglês cumpre bem com esse papel. Fácil, não? Então “bora” lá dominar todos os sotaques! 
Entender como essas diferenças funcionam de forma geral é fundamental para aumentar seus conhecimentos na língua inglesa e alcançar a fluência no idioma. Se você gostou deste conteúdo, gostou das nossas dicas ou se sentiu falta de algo, conta pra gente nos comentários!