Aprender Inglês

10 de Março de 2022

7 dicas de como ficar fluente em inglês

Descubra como falar inglês fluente e por onde começar. Se liga nessas dicas!

Existem inúmeros motivos hoje em dia para estudar o idioma e, por isso, vamos explicar as melhores maneiras para ficar fluente em inglês e conseguir alcançar todos os seus objetivos. 

Sabemos que aprender inglês é super importante hoje em dia. Todo mundo quer viajar e conhecer o mundo e a única maneira de fazer isso sem passar trabalho é falando inglês, né? Durante uma viagem, é preciso se comunicar, para que sua experiência seja completa e você consiga aproveitar ao máximo essa oportunidade. 

 

Você também vai precisar pedir comida, fazer comprinhas, pedir informações, etc. Por isso, saber falar inglês é essencial para que sua viagem, por exemplo, seja perfeita. Lógico que há muitos outros motivos para aprender o idioma, como questões de trabalho e intercâmbio. 

Aliás, se você quer tentar uma oportunidade de trabalho no exterior ou até mesmo quer buscar uma vaga de emprego melhor, falar inglês é requisito básico. Pessoas qualificadas, que falam inglês, ganham mais, sabia? 

Vamos ao que interessa? Confira nossas dicas para você sair do básico e ir direto para o fluente!

 

7 dicas de como ser fluente no inglês

Das formas mais tradicionais às mais modernas, são muitas as maneiras para aprender. Confira! 

1. Curso de idiomas presencial com metodologia moderna

Essa é a forma mais tradicional e mais procurada por aqueles que querem aprender uma segunda língua. A dica de ouro aqui é procurar cursos mais modernos, com metodologias mais atualizadas e que tenham um tempo de duração mais curto. 

Cursos tradicionais geralmente têm duração de seis anos. E vamos falar sério, né? Hoje em dia, quem é que tem seis anos de vida para aprender inglês?

Muitos estudantes se perguntam " quanto tempo para ficar fluente em inglês?" e há metodologias mais modernas e imersivas que aceleram (e muito!) esse processo, de modo que o aluno consegue se formar em até 18 meses

Portanto, se essa for a sua escolha para aprender uma segunda língua, procure o curso certo e não perca tempo desnecessariamente!

2. Curso básico na faculdade 

São os famosos cursos de extensão. Eles normalmente são gratuitos ou bem mais em conta que cursos já famosos e consagrados no mercado, pois contam com alunos da graduação para ministrar as aulas. São uma boa opção para quem não tem muita grana para investir em um curso mais rápido. 

3. Aulas particulares

A vantagem das aulas particulares é que você tem o professor só para você. Portanto, as aulas serão direcionadas para sua área de interesse e vão sempre progredir de acordo com o seu ritmo de aprendizagem. 

Mas o que isso significa? Significa que caso você seja um aluno que precise de mais tempo para absorver os conteúdos, o professor vai respeitar esse ritmo “mais de boa” e vai tirar o “pé do acelerador”. 

Por outro lado, caso você seja um aluno mais rapidinho, que absorve os conteúdos com mais facilidade, o professor pode dar uma acelerada no processo.

Outra vantagem dessa modalidade de ensino é que você faz suas aulas nos horários que melhor se encaixam na sua rotina. É só combinar com seu professor com antecedência quando essas aulas ficam melhor para você.

Além do mais, você pode optar por fazer aulas presenciais ou online, através de plataformas como Google Meet, Big Blue Button, Zoom, etc. Vale lembrar que esse tipo de aula costuma ser mais cara.

 

4. Cursos virtuais

Outra opção são os cursos virtuais de inglês. Eles se adaptam bem para quem tem uma rotina muito corrida e imprevisível. 

Nesses cursos, as aulas podem ser feitas em qualquer horário e a grande maioria delas não precisam ser pré-agendadas, pois elas são aulas gravadas, que podem ser acessadas a qualquer hora do dia pelo aluno.

5. Fazendo um intercâmbio

Claro que fazer um intercâmbio vai ensinar muito, mas para que você tenha uma adaptação inicial mais tranquila, é bom que saiba pelo menos o básico no início. Portanto adquira um conhecimento antes de sair a explorar outras terras.

Outra dica é escolher bem o país que você vai morar. Tente escolher países ou estados que não tenham muitos brasileiros (sim, eu sei que é difícil, pois estamos em todos os lugares), pois encontrar outros brasileiros e conviver muito com nossos conterrâneos vai acabar atrasando bastante o seu processo de aprendizagem. 

É normal querermos falar nossa língua e reviver nossa cultura quando estamos morando fora e encontramos pessoas que compartilham disso com a gente, mas isso atrapalha seu aprendizado e aquisição da língua e dos costumes locais. 

Dica: existem alguns tipos de intercâmbio que permitem que você trabalhe no país. É o caso do “work and travel” e do programa de “au pair” (esse segundo é somente para mulheres. Se você quiser saber mais, basta acessar nosso conteúdo aqui no blog, em que explicamos com mais detalhes esse e alguns outros tipos de intercâmbio cultural). 

Esses programas são ótimos, pois como você tem que trabalhar, é obrigado a se comunicar com pessoas que obviamente não falam português, obrigando o aprendizado e você vai deslanchar no idioma.

6. Viajando

Depois que você tiver um certo conhecimento de inglês, que tal dar uma viajada e colocar o que você sabe em prática?

Viajando, além de praticar o que você já sabe, vai aprender muita coisa nova e interessante. Você vai perceber como nativos da língua usam expressões e jargões no dia a dia, como a cultura influencia na língua, os costumes locais, etc. 

Quer mais vantagens? Ao viajar, você vai praticar suas habilidades de speaking (falar) e de listening (ouvir), pois vai interagir com pessoas o tempo todo. E já pensou que vai conhecer vários sotaques diferentes? 

Durante uma viagem, você vai ter contato com pessoas que têm o inglês como língua materna, mas também com pessoas que nem você, que estão aprendendo uma segunda língua. 

Essa é uma possibilidade de conhecer pessoas asiáticas, russas, indianas, etc. e conhecer seus sotaques, que são tão diferentes e ricos.  

Dica importante: como você vai conhecer pessoas de todos os lugares do mundo, seja sempre muito educado e cortês; use (e abuse!) de palavras e expressões como: 

  • “Excuse me”;

  • “Sorry”;

  • “Thank you”;

  • "Please”;

  • “Good morning/afternoon/evening”;

  • “Have a nice day”; e

  • “Nice to meet you”.

Vale dizer que a fluência não tem nada a ver com ficar contando quantas palavras você precisa saber para ser fluente em inglês, mas sim se elas estão passando a mensagem que você precisa, no momento certo e para a pessoa certa, sem dificuldades.

7. Fazendo grupos de conversação

Quer uma maneira megadivertida de aprender e praticar seu inglês? Faça um grupo de conversação com seus amigos — e se for presencial então, melhor ainda!

Junte sua galera e escolham uma noite que vocês tenham disponível. No dia escolhido, vocês vão conversar e pensar em atividades a serem feitas juntos, mas a língua oficial da noite vai ser o inglês. Ninguém pode falar português durante esse encontro, hein?! 

Vocês podem conversar sobre assuntos diversos, jogar jogos de tabuleiro, RPG (esse tipo de jogo exige muito dos participantes no que diz respeito ao uso da língua, portanto é um ótimo aliado para quem está precisando melhorar suas habilidades comunicativas na língua inglesa), etc.

A dica aqui, para que ninguém perca o foco e comece a falar português, é: pensem em “micos” ou multas que devem ser pagas caso alguém escorregue e fale português. Mas nada relacionado a dinheiro, pensem em coisas divertidas, como imitar uma galinha, dançar o Tchan, não usar o celular durante todo o tempo de duração do encontro, etc. 

E aí, curtiu esse conteúdo? Conta pra gente qual dica dessas aí você vai colocar em prática.

Nós utilizamos cookies e outras tecnologias similares para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com o uso dessa tecnologia. Para saber mais acesse aqui