Como escolher o curso de inglês ideal

Por TopWay English School

Veja abaixo o que levar em consideração na hora da tomada de decisão.

Por TopWay English School

09/01/2017

Cultura

No Brasil existem vários tipos de escolas de inglês, que vão desde as grandes marcas até as escolas locais, normalmente criadas por pessoas ligadas ao ensino de idiomas.

De fato, não questionaremos aqui a boa intenção, ou a sinceridade de quem comprou uma franquia de uma grande marca, ou até mesmo se abriu seu próprio negócio. As dicas que daremos aqui são para ajudar as pessoas que querem, precisam ou estão pensando em aprender inglês a encontrarem aquela escola que lhes trará a melhor relação custo-benefício.

Não se contente com a explicação da recepcionista ou do vendedor:
Procure opiniões de pessoas que já estudaram na escola que você está analisando. Converse com ex-alunos e alunas, fale com ex-colaboradores, descubra o que puder a partir de pessoas que conviveram com o ambiente e o método em questão. Especialmente, tente saber se a pessoa atingiu suas metas. Mas atenção: nenhuma escola é unanimidade. Avalie as opiniões com bom senso.

Abordagem comunicativa:
No Brasil, infelizmente, a maioria das escolas ensina idiomas de maneira muito "gramatiqueira". Ou seja, concentram-se em recursos gramaticais e vocabulário já no início do curso. Isso torna o aprendizado muito cansativo, entediante e, invariavelmente, leva à desistência. Prova disso é que todos conhecemos alguém que começou algum curso de idiomas, não fala a língua e não persistiu muito tempo na sua jornada. São grandes as chances de que você mesmo tenha passado por isso.

Fuja de métodos que incluam tradução:
Pode parecer maluquice, ou soar muito estranho, mas o fato é que o uso de tradução, de fato, faz mal à aquisição de uma nova língua. Por isso, certifique-se de que a escola de inglês que você procurou se aproxima ao máximo de um ambiente de imersão. Será um pouco mais desafiante no começo, mas o resultado será mais sólido, ainda no curto prazo.

Ambiente encorajador e descontraído:
Uma das coisas mais traumatizantes para adultos quando vão aprender uma nova língua é a vergonha de não saber pronunciar as coisas direito, ou confundir palavras. Isso por algumas razões já explicadas pela ciência, que vão desde habilidades motoras até fatores psicológicos, como desvios de autoestima. Nessa hora, um ambiente no qual você não tenha medo de errar, no qual se sinta em casa, entre amigos, é muito importante. Você precisa escolher o lugar onde não terá medo de falar errado. E sim, você vai errar muito! É parte natural do processo de aquisição do idioma.

O curso precisa entregar o que vale:
Você pegou aquele panfletinho no terminal urbano que avisava: "Inglês - Apenas R$30,00 por mês - Matrícula e Material Didático incluídos"… com todo respeito, fuja da cilada! Um curso bom custa dinheiro. Não precisa ser uma fortuna, mas precisa estar dentro de uma média de mercado, uma vez que bons professores, bons materiais e boa estrutura custam caro. Portanto, prepare-se para investir o que seu curso vale, o que o seu tempo vale. Suspeite de cursos muito baratos.

Bons professores brasileiros ou nativos?
Nem sempre um professor é bom apenas por ser nativo do idioma. Ou será que qualquer pessoa que você conhece seria um bom professor ou uma boa professora de português para estrangeiros? É claro que não! A mesma coisa acontece com nativos de outras línguas. Outra coisa: empatia. Um fator que ajuda muito os bons professores brasileiros é o fato de eles saberem dos limites e dificuldades de seus alunos latinoamericanos, pois eles percebem o que seus alunos estão querendo dizer, suas dúvidas, a razão das pronúncias serem como são no início, afinal, eles também já passaram por isso. Mas há, sim, muitos professores nativos bastante eficientes e bons naquilo que fazem. Para isso, volte à dica número um.

Com todos esses fatores em mente, compare os cursos disponíveis na sua região e prepare-se para aprender um novo idioma!

Receba nosso conteúdo em primeira mão, acompanhe nossa news!