Como a TopWay melhorou a experiência de aprendizagem com uma metodologia focada em imersão

Por TopWay English School

Veja abaixo como modificamos o processo padrão e obtivemos resultados mais significativos.

Por TopWay English School

09/01/2017

TopWay English School

Já há algum tempo, o ensino de idiomas no Brasil tem sido a mesma coisa: a pessoa procura uma escola, motivada por um desejo, necessidade ou obrigação. Ao chegar lá, descobre como serão horários e aulas e de que forma precisará investir - tempo e dinheiro.

Tudo parece bastante certo, se não fosse por alguns detalhes bem importantes. No Brasil, as escolas de idiomas tradicionais seguem, por exemplo, ensinando com o foco em gramática. E isto tem uma razão bastante conhecida, que é o fato de as pessoas associarem o aprendizado de uma língua à aquisição de conhecimento, tal como acontece com química, física, matemática…

Assim, como inicia-se os estudos pela parte mais complexa (gramática), invariavelmente as pessoas apelam para a tradução, a fim de entenderem o que se passa e situarem-se no contexto da aula, e terminam entendendo tudo, mas não fazendo o que é esperado de um curso de idiomas - falar a língua desejada.  A isto, damos o nome de experiência EFL (English as a Foreign Language), que é quando o idioma vem visitar a pessoa em sua rotina, sem que haja uma imersão.

Este breve diagnóstico é confirmado dia após dia, com uma multidão de pessoas que iniciam seus cursos em escolas tradicionais de inglês, mas ao final de alguns anos saem sem a habilidade de se comunicar na língua estudada. Você, que está lendo este artigo, conhece alguém que já passou por isso? Será que você mesmo já não viveu esta experiência?

A inquietação com a ausência ou raridade de resultados significativos nos cursos tradicionais fez com que o time da TopWay fizesse as seguintes perguntas: - "Por que pessoas que vão morar no exterior aprendem tão mais rápido? O que faz com que uma pessoa que estudou por cinco, seis anos aqui, aprenda muito mais em cinco, seis meses morando fora?"

Ao analisar os fatos citados acima, descobriu-se pontos muito importantes, que podem mudar a história do ensino de idiomas no país, e é isso que já estamos fazendo. São eles:

1. A primeira coisa que muda para alguém que vai morar em um país estrangeiro é o desejo de entender e fazer-se entendido, ainda que com erros. Mais do que compreender aspectos gramaticais da língua, podemos dizer que o foco de quem está morando fora está na habilidade de comunicar-se.

2. Como a pessoa está focada em comunicar-se, não há tempo para a tradução. Ao invés de pensar "table = mesa", a pessoa começa naturalmente a ver o objeto “mesa” e a associar tal imagem com o som "table". A princípio pode ser que a pessoa não saiba a escrita correta das palavras, mas isso é só uma questão de tempo.

3. Em um país de língua estrangeira, se a pessoa não mora em uma comunidade brasileira, a predominância do idioma local é total. Está nos rádios, billboards, jornais, internet, televisão… O contato com a língua é diário.

A isto, chamamos experiência ESL (English as a Second Language - método utilizado pela TopWay). Isto porque ela repete os passos pelos quais passamos ao aprendermos nosso primeiro idioma. É o que ocorre em uma viagem - quando eu visito o idioma, e não ao contrário, como explicamos a respeito das experiências EFL.

Analisados estes fenômenos, o raciocínio lógico seguinte foi: - "Como transformar esta experiência no exterior, este ambiente de imersão em algo viável aqui mesmo, no Brasil, ou em outros países onde não se fale inglês como língua oficial?"

Depois de muita pesquisa, a empresa conseguiu chegar a um cenário onde estes fenômenos são reproduzidos aqui, em um ambiente EFL, porém com a mesma eficiência de um ambiente ESL. E isto já vem funcionando com resultados surpreendentes há quase 15 anos!

Portanto, na TopWay…

1. Os alunos não entendem o idioma como uma "matéria", ou como um crédito na faculdade. O idioma é visto como uma forma de sobrevivência, como um código para acessar o mundo todo. Isto gera uma motivação sem precedentes, porque o foco deixa de ser "a prova na qual eu preciso passar" e começa a ser "os universos que eu posso explorar".

2. O foco absoluto está na capacidade do aluno de se comunicar em inglês. O aspecto gramatical do idioma é sempre visto dentro de uma função linguística, pois o objetivo é sempre mostrar como a gente se comunica, como a gente entende e se faz entendido, seja pela forma escrita, seja pela língua falada.

3. Em um ambiente onde o foco é a comunicação, tradução é um recurso que não cabe. Simplesmente porque tradução faz mais mal do que bem. Estudos apontam que o gasto de energia pelo cérebro que traduz é muito maior do que do cérebro que não traduz. Então, ao invés de os alunos terem a sua frente professores que mandam procurar significados no dicionário, eles lidam com profissionais altamente treinados para fazer com que o aluno entenda, sem o uso do português, e comece a criar sua própria base de dados de vocabulário, da forma mais saudável possível - pensando em inglês.

4. Através de um material moderno, digital e gamificado, as pessoas que estudam na TopWay têm contatos todos os dias com o idioma. É através de vídeos ricos em conteúdo e atraentes ao olhar, exercícios que estimulam o pensar em inglês, checagem de pronúncia com recursos que permitem gravação de voz e muito mais, que os alunos da TopWay se mantêm em constante contato com o inglês.

5. Mensalmente há eventos temáticos culturais, 100% em inglês nas escolas da TopWay. Neles, os alunos recebem mais cultura sobre o idioma e ainda praticam de maneira bem informal. Mas o evento mais esperado pelos alunos acontece a cada quatro meses: o Immersion Program. Nele, um grupo de aproximadamente 100 alunos de uma ou mais escolas se reúne em um hotel e fica por 48 horas em imersão absoluta, sem contato com o idioma português. Alunos a partir de TRÊS MESES de curso já podem participar.

O evento é tão surpreendentemente eficaz que, ao final, os participantes reportam dificuldades em falar português novamente, pois quando ouvem uma pergunta em português, acabam respondendo em inglês.

6. O ambiente descontraído, construído por gente feliz, que está realizando sonhos e abrindo portas para outras pessoas romperem barreiras, é o que encoraja os alunos a não terem medo de errar. Nossos alunos frequentemente “visitam” a TopWay em dias em que não têm aulas, simplesmente para ver os professores e recepcionistas e conversar em inglês.

Por estas e outras, a TopWay conseguiu iniciar uma revolução no ensino de idiomas no Brasil - e ela está apenas começando.

Receba nosso conteúdo em primeira mão, acompanhe nossa news!